domingo, 21 de dezembro de 2008

Natal...

Que neste dia que nos alegra tanto, que por um momento apenas lembremos do Aniversariante. Nem que seja por uma fração de segundo, mas que seja um pensamento ou uma prece genuinamente de enlevo e de compromisso para com que Este que se deu por nós sem esperar nada de nós...
Que você seja feliz...
Que você seja pleno...
Que você seja você...
Que você se comprometa...
Que você seja mais...
Que você seja melhor...
Que você seja abençoado...
Que você faça a diferença...
Que você assuma as responsabilidades...
Que você ame mais...
Que você se ame...
Que você produza mais...

Que você seja mais agradecido e menos convencido...
Que você faça o que tem de ser feito...
Que você seja apaixonado por tudo em sua vida...
Que você esteja disponível...
Que você seja mais família...
Que você seja humano...
Que você seja pacífico...
Que você seja tolerante...
Que você seja misericordioso...
Que você seja o outro...
Que você se supere...
Que você seja, esteja e persevere!!!
Que Ele o inspire e motive!!!


FELIZ NATAL!!!

MárciaFreitas

Poema de Natal



Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos —
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.
Assim será nossa vida:
Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar na treva
Um caminho entre dois túmulos —
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.
Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.


Vinicius de Moraes

domingo, 14 de dezembro de 2008

FELIZ ANO NOVO



Ter asas é dançar na chuva...
É plantar uma árvore...
Ver a inocência nos olhos de uma criança...
É ficar bem quietinho ao lado da pessoa amada...
É subir uma montanha...
É encontrar os amigos e não falar nada importante, mas falar, falar muito...
É cantarolar uma música antiga ...
É arrumar as gavetas, e dar um monte de roupa para quem precisa...
É andar sem rumo, só por andar...
É falar sozinho...
É sorrir para aquele velhinho lá da praça...
É ficar sentado na cozinha, assistindo a mãe fazer bolo...
Ah ! Ter asas é raspar a panela de brigadeiro com os dedos ...
É brincar
É rir de si mesmo
É ter um lugar secreto bem lindo e fugir para lá de vez em quando
E ficar de bobeira
É tomar um banho de cachoeira, nadar em um rio
Ir para a praia, se cobrir de areia e pegar jacaré
Ter asas é viver intensamente as coisas simples e belas
Do dia a dia
Ter asas é ficar em silêncio e ouvir dentro da gente... DEUS
É isso que desejo para o Ano Novo que está chegando...
Que você tenha asas como das águias!!!


Fonte: Mensagens e Poemas

domingo, 23 de novembro de 2008

A IMPORTÂNCIA DO NÃO - UM ALERTA PARA OS PAIS !

Criando um monstro.
O que pode criar um monstro?
O que leva um rapaz de 22 anos a estragar a própria vida e a vida de outras duas jovens por... nada? Será que é índole? Talvez a mídia? Influência da televisão? A situação social da violência? Traumas? Raiva contida? Deficiência social ou mental? Permissividade da sociedade?
O que faz alguém achar que pode comprar armas de fogo, entrar na casa de uma família, fazer reféns, assustar e desalojar vizinhos, ocupar a polícia por mais de 100 horas e atirar em duas pessoas inocentes? O rapaz deu a resposta: "Ela não quis falar comigo". A garota disse NÃO, não quero mais falar com você. E o garoto, dizendo que ama, não aceitou um não. Seu desejo era o mais importante. Não quero ser comparado com um daqueles psicólogos de araque que infestam os programas vespertinos de televisão, que explicam tudo de maneira muito simplista e falam descontextualizadamente sobre a vida dos outros sem serem chamados. Mas, ontem, quando não conseguia dormir, pensando nesse absurdo todo, concluí que o não daquela menina Eloá teria sido o único.
Faltaram muitos outros nãos nessa história toda. Faltou um pai e uma mãe dizerem que a filha de 12 anos NÃO podia namorar um rapaz de 19. Faltou uma outra mãe dizer que NÃO iria sucumbir ao medo e ir lá tirar o filho do tal apartamento a puxões de orelha. Faltou outros pais dizerem que NÃO iriam atender ao pedido de um policial
maluco de deixar a filha voltar para o cativeiro de onde, com sorte, já tinha escapado com vida. E faltou à polícia dizer NÃO ao próprio planejamento errôneo, de mandar a garota de volta para lá. Faltou o governo dizer NÃO ao sensacionalismo da imprensa em torno do caso, e que permitiu ao tal sequestrador que conversasse e chorasse compulsivamente em todos os programas de TV que o procuraram. Simples assim. NÃO. Pelo jeito, a única que disse não nessa história foi punida com uma bala na cabeça.
O mundo está carente de nãos. Vejo que cada vez mais os pais e professores morrem de medo de dizer não às crianças. Mulheres ainda têm medo de dizer não aos maridos (e alguns maridos, temem dizer não às esposas).
Pessoas têm medo de dizer não aos amigos. Noras que não conseguem dizer não às sogras, chefes que não dizem não aos subordinados, gente que não consegue dizer não aos próprios desejos. Assim são criados alguns monstros. Talvez alguns não cheguem a seqüestrar pessoas. Mas têm pequenos surtos quando escutam um não, seja do guarda de trânsito, do chefe, do professor, da namorada, do gerente do banco. Essas pessoas acabam crendo que abusar é normal. E é legal. Os pais dizem, "não posso traumatizar meu filho". Não é raro eu ver alguns tomando tapas de bebês com 1 ou 2 anos. Outros gastam o que não têm em brinquedos todos os dias e festas de aniversário faraônicas para suas crias. Sem falar nos adolescentes.
Hoje em dia, é difícil ouvir alguém dizer: Não, você não pode bater no seu amiguinho. Não, você não vai assistir a uma novela feita para adultos. Não, você não
vai fumar maconha enquanto for contra a lei. Não, você não vai passar a madrugada na rua. Não, você não poderá dirigir sem carteira de habilitação. Não, você não vai beber uma cervejinha enquanto não fizer 18 anos. Não, essas pessoas não são companhias pra você. Não, hoje você não vai ganhar brinquedo ou comer salgadinho e chocolate. Não, aqui não é lugar para você ficar. Não, você não vai faltar na escola sem estar doente. Não, essa conversa não é pra você se meter. Não, com isto você não vai brincar. Não, hoje você está de castigo e não vai brincar no parque.
Crianças e adolescentes que crescem sem ouvir bons, justos e firmes NÃOS crescem sem saber que o mundo não é só deles. E aí, no primeiro não que a vida dá (a vida dá muitos) surtam. Usam drogas. Compram armas. Transam sem camisinha. Batem em professores. Furam o pneu do carro do chefe. Chutam mendigos e prostitutas na rua. E
daí por diante. Não estou defendendo a volta da educação rígida e sem diálogo, pelo contrário.
Acredito piamente que as crianças e adolescentes tratados com um amor real, sem culpa, tranqüilo e livre, conseguem perfeitamente entender uma sanção do pai ou da mãe, um tapa, um castigo, um não. Intuem que o amor dos adultos pelas crianças não é só prazer - é também responsabilidade. E quem ouve uns nãos de vez em quando também aprende a dizê-los quando é preciso. Acaba aprendendo que é importante dizer não a algumas pessoas que tentam abusar de nós de diversas maneiras, com respeito e firmeza, mesmo que sejam pessoas que nos amem. O não protege, e ensina, e prepara. Por mais que seja difícil, eu tento dizer não aos seres humanos que cruzam meu caminho, quando acredito que é hora - e tento respeitar também os nãos que recebo. Nem sempre consigo, mas tento. Acredito que é aí que está a verdadeira prova de amor. E é também aí que está a solução para a violência cada vez mais desmedida e absurda dos nossos dias.

Autor Anônimo
Texto recebido por e-mail da amiga Diva

domingo, 9 de novembro de 2008

"Faça amor com vontade.
Celebre almas e corpos.
Dê prazer.
Prepare o momento mágico com mágicas palavras e toques certeiros.
Não tenha pressa.
Não se trata de uma obrigação.
É arte.
É vida.
É amor."

Gabriel Chalita

Não


Não! Não me olhes assim
Com esse jeito repressor.
Não! Não me ignores assim
Com esse silêncio ensurdecedor!

Não! Não me renegues assim
Com essas atitudes banalizadas.
Não! Não me consumas assim
Com essa espera atordoada.

Por que não me beijas mais
Com aquele calor de outrora?
O que mudou em nós?
A dúvida não me consola.

Por que não se importa mais
Com esse amor se esvaindo?
O que mudou em nós?
A distância nos destruindo.

Não! Não se vá assim
Lembras de mim?
Sou aquela mesma de antes
Que arrancava teus sorrisos,
Aqueles mais cativantes!

Por que não me escutas mais?
Não respondes aos meus apelos
Minhas palavras em segredo
A ti, não emocionam mais?

Por que se afastas assim?
Lembras de mim?
Sou aquela que em seu colo
Encontrou a outra parte de si.

Vandia Alves

sábado, 8 de novembro de 2008

“Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e, esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores para o nosso planeta.”

A Lua que não dei

Publicada em 1/8/2008 no 'Correio Popular' - Campinas


Compreendo pais - e me encanto com eles - que desejariam dar o mundo de presente aos filhos. E, no entanto, abomino os que, a cada fim de semana, dão tudo o que filhos lhes pedem nos shoppings onde exercitam arremedos de paternidade. E não há paradoxo nisso. Dar o mundo é sentir-se um pouco como Deus, que é essa a condição de um pai. Dar futilidades como barganha de amor é, penso eu, renunciar ao sagrado.

Volto a narrar, por me parecer apropriado à croniqueta, o que me aconteceu ao ser pai pela primeira vez. Lá se vão, pois, 45 anos. Deslumbrado de paixão, eu olhava a menina no berço, via-a sugando os seios da mãe, esperneando na banheira, dormindo como anjo de carne. E, então, eu me prometia, prometendo-lhe: 'Dar-lhe-ei o mundo, meu amor.' E não lhe dei. E foi o que me salvou do egoísmo, da tola pretensão e da estupidez de confundir valores materiais com morais e espirituais.

Não dei o mundo à minha filha, mas ela quis a Lua. E não me esqueço de como ela pediu, a Lua, há anos já tão distantes. Eu a carregava nos braços, pequenina e apenas balbuciante, andando na calçada de nosso quarteirão, em tempos mais amenos, quando as pessoas conversavam às portas das casas. Com ela junto ao peito, sentia-me o mais feliz homem do mundo, andando, cantarolando cantigas de ninar em plena calçada. Pois é a plenitude da felicidade um homem jovem poder carregar um filho como se acariciando as próprias entranhas. Minha filha era eu e eu era ela. Um pai é, sim, um pequeno Deus, o criador. E seu filho, a criatura bem amada.

E foi, então, que conheci a impotência e os limites humanos. Pois a filhinha - a quem eu prometera o mundo - ergueu os bracinhos para o alto e começou a quase gritar, assanhada, deslumbrada: 'Dá, dá, dá...' Ela descobrira a Lua e a queria para si, como ursinho de pelúcia, uma luminosa bola de brincar. Diante da magia do céu enfeitado de estrelas e de luar, minha filha me pediu a Lua e eu não lhe pude dar.

A certeza de meus limites permitiu, porém, criar um pacto entre pai e filhos: se eles quisessem o impossível, fossem em busca dele. Eu lhes dera a vida, asas de voar, diretrizes, crença no amor e, portanto, estímulo aos grandes sonhos. E o sonho da primogênita começou a acontecer, num simbolismo que, ainda hoje, me amolece o coração. Pois, ainda adolescente, lá se foi ela embora, querendo estudar no Exterior. Vi-a embarcar, a alma sangrando-me de saudade, a voz profética de Kalil Gibran em sussurros de consolo:

'Vossos filhos não são vossos filhos, mas são os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma. Eles vêm através de vós, mas não de nós. E embora vivam convosco, não vos pertencem. (...) Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.'

Foi o que vivi, quando o avião decolou, minha criança a bordo. No céu, havia uma Lua enorme, imensa. A certeza da separação foi dilacerante. Minha filha fôra buscar a Lua que eu não lhe dera.

E eu precisava conviver com a coerência do que transmitira aos filhos: 'O lar não é o lugar de se ficar, mas para onde voltar.'

Que os filhos sejam preparados para irem-se, com a certeza de ter para onde voltar quando o cansaço, a derrota ou o desânimo inevitáveis lhes machucarem a alma. Ao ver o avião, como num filme de Spielberg, sombrear a Lua, levando-me a filha querida, o salgado das lágrimas se transformou em doçura de conforto com Kalil Gibran: como pai, não dando o mundo nem Lua aos filhos, me senti arqueiro e arco, arremessando a flecha viva em direção ao mistério.

Ora, mesmo sendo avós, temos, sim e ainda, filhos a criar, pois família é uma tribo em construção permanente. Pais envelhecem, filhos crescem, dão-nos netos e isso é a construção, o centro do mundo onde a obra da criação se renova sem nunca completar-se. De guerreiros que foram, pais se tornam pajés. E mães, curandeiras de alma e de corpo. É quando a tribo se fortalece com conselheiros, sábios que conhecem os mistérios da grande arquitetura familiar, com régua, esquadro, compasso e fio de prumo. E com palmatória moral para ensinar o óbvio: se o dever premia, o erro cobra.

Escrevo, pois, de angústias, acho que angústias de pajé, de índio velho. A nossa construção está ruindo, pois feita em areia movediça. É minúsculo o mundo que pais querem dar aos filhos: o dos shoppings. E não há mais crianças e adolescentes desejando a Lua como brinquedo ou como conquista. Sem sonhos, os tetos são baixos e o infinito pode ser comprado em lojas. Sem sonhos, não há necessidade de arqueiros arremessando flechas vivas.

Na construção familiar, temos erguido paredes. Mas, dentro delas, haverá gente de verdade?


Cecílio Elias Netto - escritor e jornalista.

VENDE-SE TUDO!!


No mural do colégio da minha filha encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos. O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento. Uma outra mãe, ao meu lado, comentou:
- Que coisa triste ter que vender tudo que se tem.
- Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida!

Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes. O resto vendi tudo, e por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar, aparelho de som, tudo o que compõe uma casa. Como eu não conhecia muita gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o primeiro que se foi. Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém que tinha ouvido comentar que ali estava se vendendo uma estante. Eu convidava pra subir e em dez minutos negociávamos um belo desconto. Além disso, eu sempre dava um abridor de vinho ou um saleiro de brinde, e lá se iam meus móveis e minhas bugigangas. Um troço maluco: estranhos entravam na minha casa e desfalcavam o meu lar, que a cada dia ficava mais nu, mais sem alma. No penúltimo dia, ficamos só com o colchão no chão, a geladeira e a tevê. No último, só com o colchão, que o zelador comprou e, compreensivo, topou esperar a gente ir embora antes de buscar. Ganhou de brinde os travesseiros.
Guardo esses últimos dias no Chile como o momento da minha vida em que aprendi a irrelevância de quase tudo o que é material. Nunca mais me apeguei a nada que não tivesse valor afetivo. Deixei de lado o zelo excessivo por coisas que foram feitas apenas para se usar, e não para se amar.
Hoje me desfaço com facilidade de objetos, enquanto que torna-se cada vez mais difícil me afastar de pessoas que são ou foram importantes, não importa o tempo que estiveram presentes na minha vida. Desejo para essa mulher que está vendendo suas coisas para voltar aos Estados Unidos a mesma emoção que tive na minha última noite no Chile. Dormimos no mesmo colchão, eu, meu marido e minha filha, que na época tinha dois anos de idade. As roupas já estavam guardadas nas malas. Fazia muito frio. Ao acordarmos, uma vizinha simpática nos ofereceu o café da manhã, já que não tínhamos nem uma xícara em casa. Fomos embora carregando apenas o que havíamos vivido, levando as emoções todas: nenhuma recordação foi vendida ou entregue como brinde. Não pagamos excesso de bagagem e chegamos aqui com outro tipo de leveza.
E se só possuímos na vida o que dela pudermos levar ao partir?
Melhor refletir e começar a trabalhar o DESAPEGO JÁ!

Ô texto pra cair como uma luva!!!
Que venham as mudanças eu já estou exercitando o desapego faz tempo!!!
Lá vamos nós...

Bons dias, boas tardes, boas noites!

Martha Medeiros

domingo, 19 de outubro de 2008

As Três Faces da Lua


A Lua tem três faces, mas permanece uma só.
Como ela, toda mulher é uma deusa, tendo três faces
Interligadas, entrelaçadas – permanecendo uma só
Na imensidão incompreensível que há fora do tempo
No interior insondável que é o seu ser feminino
Insondável, incompreensível, incomensurável.
Nesse seu ser ela é a Lua: criança, mãe e mulher.
A Lua Crescente é a criança que sempre será
Aquela que brinca e troça, faz ironia e se esquece
Ri e chora sem sentido, contradiz-se, entesa, cresce...
A Lua Cheia é a mãe e amante, a que ampara e conforta
A que ama seu homem, expectante, recebe e acalanta.
A mãe que amima o que parece fraco e indefeso
Cuidando tudo o que germina, cresce, floresce.
A Lua Minguante é a anciã, a mulher sábia e ponderada
Aquela que busca o conhecimento nos astros, nas estações
E nos segredos dos corações dos homens.
E toma a tudo e todos com cautela.
Depois dela, é a Não-Lua. A ira, a morte, a escuridão.
A Lua Nova que desaparece, que fere, que mata.
Esta é a Não-Face que a Lua esconde
A que fere até o homem que ama
E depois se esquece, se arrepende
E torna a ser criança outra vez.
Porque a Lua tem três faces, mas permanece uma só.

Assim como a Lua, eu sou mulher, tenho três faces.
Meu ser Crescente ri, brinca contigo e faz troça
Te entesa, te irrita e depois chora, buscando teu carinho
E compreensão. A que levanta olhos expectantes
Confiantes no teu ser muro e espada, poder e força.
Meu ser Lua Cheia é aquela que te ama e recebe confiante
Meu corpo amado e amante, criando e destilando a vida
Que do meu corpo jorra, fruto do teu amor.
Sou Lua Minguante, e minha mente busca as estrelas.
Falo de conhecimento, discuto filosofia com os sábios
Folheio alfarrábios e textos herméticos, ocultos, esquecidos.
Aconselho, pondero, meço justiça, recebo e acalanto.
Mas há em mim também a Não-Lua, a escura dança
Em que escondo a ira, o veneno, a vingança.
Sou mulher, sou Lua – três faces em uma só.
Três modos de perceber a vida, três modos insondáveis
Inexplicáveis, incomensuráveis
Meus três modos de te amar.



© Dalva Agne Lynch


"Há noites que eu não posso dormir de remorso por tudo o que eu deixei de cometer."

Mário Quintana

EU

Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada... a dolorida...

Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...

Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber por quê...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!


Florbela Espanca

JURA SECRETA



Só uma coisa me entristece
O beijo de amor que não roubei
A jura secreta que não fiz
A briga de amor que não causei

Nada do que posso me alucina
Tanto quanto o que não fiz
Nada que eu quero me suprime
De que por não saber 'Inda não quis

Só uma palavra me devora
Aquela que meu coração não diz
Só que me cega o que me faz infeliz
É o brilho do olhar que não sofri.


Composição: Sueli Costa e Abel Silva
Canta: Simone

sábado, 18 de outubro de 2008

Martha Medeiros


25
não devia te contar
se você guardar segredo
eu revelo este meu medo
de não saber amar
não devia te amar
mas se você guardar meu medo
eu revelo este segredo
que não sei contar

28
vou andando devagar
olhando para um lado
para o outro
rindo ali, pensando aqui
de repente
vejo você na minha frente
e até pararia de andar
se você não fosse
estacionamento proibido

32
me viu
corei
olhei
te vi
gostei
cheguei
teus olhos
teu sorriso
senta
amor

37
eu quero em mim
uma pessoa
não muito assim
ou muito não
eu quero em mim
uma pessoa
geral
poucos muitos
mas muitas coisas
muitas vidas
pessoa assim
nem muito ou pouco
mas pessoa
em tudo e em todas
total

(Strip-Tease, 1985)

48
não tenho mais idade
pra brincar de esconde-esconde
vem me pegar

51
quero morar
no teu lugar comum
fazer previsões
improvisadas
crises pré-datadas
e ser dois em um
bem clichê
batom no copo
lingerie e Sinatra
bem eu e você
kitch por uma noite
adoraria


52
bem que podia ser diferente
mas não foi e eu fiquei assim
pareço estranha mas comum demais
tão óbvia que surpreende a todos
puríssima que embriaga a voz
distante que se sente a pele
tão boa que nem satisfaz
gritona que se pede bis
voraz que se apaixona fácil
mentira que não engana mais
sei lá o que foi que eu fiz

54
me recuso a dar informações
sobre o paradeiro das minhas idéias malditas
elas se escondem bem demais
só eu sei o caminho só eu sei
em quem dói mais

59
minha boca
é pouca
pro desejo
que anda à solta

69
se eu quisesse
sairia da cidade
moraria onde pudesse
deixaria saudade
partiria quando desse
não interessa a idade
andaria a esmo
descobriria ruas
iria sozinha
pediria abrigo
trabalharia à noite
viveria de dia
ouviria música
saberia línguas
pediria arrego
trocaria o nome
mandaria cartas
choraria às vezes
não envelheceria
perderia o rumo
cometeria erros
distribuiria beijos
arruinaria casamentos
visitaria museus
deixaria o cabelo crescer
sorriria diferente
montaria uma casa
viajaria em cargueiro
faria tudo isso
se eu quisesse mesmo

72
aquele poema em que saiu seu nome
não liga não é você
não vou te comprometer com a minha ilusão
foi erro de revisão


81
feroz
minha voz te perturbou
dentro de ti ecoou
um aninal acuado
a angústia de um Longo
ramal ocupado

89
fica combinado assim
você louco por mim
eu louca até o fim

95
seria ótimo
se você baixasse o som e desligasse
esse canal
me tocasse como um disco importado
medo de quebrar
serve um pouco mais de vinho e vem deitar

97
tenho urgência de tudo
que deixei pra amanhã
Meia-Noite e um Quarto, 1987

112
ele diz que me ama, deseja
me quer para sempre, me pede
para ser sua mulher, me corteja
me faz confissões, me venera
me entrega sonetos, me beija
implora meu sim, me calo
depois penso melhor, que seja

119
te alcançar
é como estar nas filas intermináveis de Moscou
quando chega a minha vez
acabou

120
tinha na época pouco mais que
treze mas já sabia que as pessoas
mentiam as vezes e intuía que meu
destino seria melancólico caso eu
não tomasse uma medida urgente
inventei então de ser alguém
que atravessaria paredes e
sem que ninguém percebesse
colheria dados para um poema
que um dia escreveria
mesmo que você não lesse
mas você está lendo e agora
sabe tudo a meu respeito, a dor
que trago, o amor que sinto, a
fera doce que satisfaz seu maior
instinto e que não conhece nenhum
retrato mais perfeito

124
a todos trato muito bem
sou cordial, educada, quase sensata
mas nada me dá mais prazer
do que ser persona non grata
expulsa do paraíso
uma mulher sem juízo, que não se comove
com nada
cruel e refinada
que não merece ir pro céu, uma vilã de
novela
mas bela, e até mesmo culta
estranha, com tantos amigos
e amada, bem vestida e respeitada
aqui entre nós
melhorque ser boazinha e não poder ser
imitada

127
você não acredita como eu me importei
com você
como eu reparava nos teus cacoetes, ouvia
tua voz
e pelo tom eu percebia como andava o teu
humor,
como eu sabia bem dos teus horários, teus
macetes
eu poderia ter escrito teu diário, tanto eu
te conhecia
dava para sentir de longe o teu cheiro,
entender tuas manias
eu já estava louca de tanta nostalgia de você,
um rapaz que eu nunca vi, nunca falei,
nunca toquei,
nunca soube se existia

143
mesmo tendo juízo
não faço tudo certo
todo paraíso
precisa um pouco de inferno

148
pudesse eu viver tudo o que imagino
nem sete vidas me dariam tanto fôlego

150
não quero saber quantas namoradas
que eu não descobri
silêncios e desvios que não percebi
nem quero saber
sobre aquele fim-de-semana que não te vi
do teu pouco caso com o meu sofrimento
de nenhum movimento a meu favor
de nenhum amor que eu me lembre
não quero saber
quantas mentiras pra me acalmar
quantos mares a navegar sem mim
que fim deram aqueles retratos
se aquele abraço era mesmo assim
não quero saber
quantos meses você me deixou
a delirar e quantos presentes me deu
sem escolher e quantos beijos foram dados
por dar
não quero saber dos requintes
de crueldade nem do momento
fatal
o que não se sabe
não faz mal

162
você bem que podia ter surgido na
minha vida
vinte anos atrás, quando eu ainda tinha
planos
quinze anos atrás, quando eu estava me
formando
onze anos atrás, quando eu morava sozinha
dez anos atras, quando eu ainda era solteira
seis anos atrás, quando eu ainda estava
tentando
dois meses atrás, quando sobrava
alguma força
ontem à noite eu ainda estava te esperando

Persona Non Grata, 1991

167
ficas mais distante, cada dia
cada noite, mais ausente
mais idoso, cada mês
cada instante, mais alheio
cada beijo, mais decente
mais fumante, cada ano
cada encontro, mais estranho
mais sofrido, cada vez
mais dolorido, mais parente
menos meu


170
dois, três, quatro dormitórios
com suíte, jacuzzi e vista pro mar
closet, duas vagas na garagem
e um condomínio caro por mês
que me interessa granito, madeira-de-lei
lâmpadas halógenas e último andar
eu queria era morar num filme francês

191
homens são como cofres
tem segredos guardados
mulheres são como ladras
Precisam arrombá-los

211
solidão que tanto temem
que tanto ignoram o bem que faz
sozinha não minto, não finjo
não causo nenhum escarcéu
sozinha não maltrato, não disfarço
não há pesquisa que me sonde
sozinha não retruco, não provoco
não deixo ninguém sem resposta
sozinha não julgo nem condeno
não trato ninguém como réu
sozinha não grito, não rogo praga
não renego meu deleite
sozinha não trapaceio, não peco
não falto nem chego atrasada
sozinha não sumo, não volto
não tenho presença notada
sozinha eu sou quem eu posso
sozinha eu faço o que quero
sozinha não há céu que me rejeite

214
eu triste sou calada
eu braba sou estúpida
eu lúcida sou chata
eu gata sou esperta
eu cega sou vidente
eu carente sou insana
eu malandra sou fresca
eu seca sou vazia
eu fria sou distante
eu quente sou oleosa
eu prosa sou tantas
eu santa sou gelada
eu salgada sou crua
eu pura sou tentada
eu sentada sou alta
eu jovem sou donzela
eu bela sou fútil
eu útil sou boa
eu à toa sou tua

De Cara Lavada, 1995
Poemas do Livro Poesia Reunida - Martha Medeiros

domingo, 12 de outubro de 2008

MARIO QUINTANA

DO AMOROSO ESQUECIMENTO

Eu agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?

Espelho Mágico
_________________________________

DAS UTOPIAS

Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos se não fora
A mágica presença das estrelas!

Espelho Mágico
_________________________________

POEMINHO DO CONTRA

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!
_______________________________

EU ESCREVI UM POEMA TRISTE

Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

A Cor do Invisível
________________________________

CANÇÃO DO AMOR IMPREVISTO

Eu sou um homem fechado.
O mundo me tornou egoísta e mau.
E a minha poesia é um vício triste,
Desesperado e solitário
Que eu faço tudo por abafar.

Mas tu apareceste com a tua boca fresca de madrugada,
Com o teu passo leve,
Com esses teus cabelos...

E o homem taciturno ficou imóvel, sem compreender
nada, numa alegria atônita...

A súbita, a dolorosa alegria de um espantalho inútil
Aonde viessem pousar os passarinhos.
________________________________________

RECORDO AINDA

Recordo ainda... e nada mais me importa...
Aqueles dias de uma luz tão mansa
Que me deixavam, sempre, de lembrança,
Algum brinquedo novo à minha porta...

Mas veio um vento de Desesperança
Soprando cinzas pela noite morta!
E eu pendurei na galharia torta
Todos os meus brinquedos de criança...

Estrada afora após segui... Mas, aí,
Embora idade e senso eu aparente
Não vos iludais o velho que aqui vai:

Eu quero os meus brinquedos novamente!
Sou um pobre menino... acreditai!...
Que envelheceu, um dia, de repente!...
______________________________________

O amor é quando a gente mora um no outro
______________________________________

DA OBSERVAÇÃO

Não te irrites, por mais que te fizerem...
Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio...

Espelho Mágico
____________________________________

OS DEGRAUS

Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos - onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo...

Baú de Espantos
________________________________

Canção do dia de sempre

Tão bom viver dia a dia...
A vida assim, jamais cansa...

Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu...

E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência... esperança...

E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.

Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!

E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas...
________________________________

PRESENÇA

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.
_____________________________________

ESPERANÇA

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...
______________________________________

SE EU FOSSE UM PADRE

Se eu fosse um padre, eu, nos meus sermões,
não falaria em Deus nem no Pecado
- muito menos no Anjo Rebelado
e os encantos das suas seduções,

não citaria santos e profetas:
nada das suas celestiais promessas
ou das suas terríveis maldições...
Se eu fosse um padre eu citaria os poetas,

Rezaria seus versos, os mais belos,
desses que desde a infância me embalaram
e quem me dera que alguns fossem meus!

Porque a poesia purifica a alma
... a um belo poema - ainda que de Deus se aparte -
um belo poema sempre leva a Deus!
_______________________________________

A CANÇÃO DA VIDA

A vida é louca
a vida é uma sarabanda
é um corrupio...
A vida múltipla dá-se as mãos como um bando
de raparigas em flor
e está cantando
em torno a ti:
Como eu sou bela
amor!
Entra em mim, como em uma tela
de Renoir
enquanto é primavera,
enquanto o mundo
não poluir
o azul do ar!
Não vás ficar
não vás ficar
aí...
como um salso chorando
na beira do rio...
(Como a vida é bela! como a vida é louca!)

Esconderijos do Tempo
________________________________________

EU QUERIA TRAZER-TE UNS VERSOS MUITO LINDOS

Eu queria trazer-te uns versos muito lindos
colhidos no mais íntimo de mim...
Suas palavras
seriam as mais simples do mundo,
porém não sei que luz as iluminaria
que terias de fechar teus olhos para as ouvir...
Sim! Uma luz que viria de dentro delas,
como essa que acende inesperadas cores
nas lanternas chinesas de papel!
Trago-te palavras, apenas... e que estão escritas
do lado de fora do papel... Não sei, eu nunca soube o que dizer-te
e este poema vai morrendo, ardente e puro, ao vento
da Poesia...
como
uma pobre lanterna que incendiou!

Quintana de Bolso

BILHETE

Se tu me amas,
ama-me baixinho.

Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos.

Deixa em paz a mim!

Se me queres,
enfim,

tem de ser bem devagarinho,
Amada,

que a vida é breve,
e o amor
mais breve ainda...


Mario Quintana

sábado, 11 de outubro de 2008

O Espetáculo da Vida


Que você seja um grande empreendedor. Quando empreender, não tenha medo de falhar. Quando falhar, não tenha receio de chorar. Quando chorar, repense a sua vida, mas não recue. Dê sempre uma nova chance para si mesmo.

Encontre um oásis em seu deserto. Os perdedores vêem os raios. Os vencedores vêem a chuva e a oportunidade de cultivar. Os perdedores paralisam-se diante das perdas e dos fracassos. Os vencedores começam tudo de novo.

Saiba que o maior carrasco do ser humano é ele mesmo. Não seja escravo dos seus pensamentos negativos. Liberte-se da pior prisão do mundo: o cárcere da emoção. O destino raramente é inevitável, mas sim uma escolha. Escolha ser um ser humano consciente, livre e inteligente.

Sua vida é mais importante do que todo o ouro do mundo. Mais bela que as estrelas: obra-prima do Autor da vida. Apesar dos seus defeitos, você não é um número na multidão. Ninguém é igual a você no palco da vida. Você é um ser humano insubstituível.

Jamais desista das pessoas que ama. Jamais desista de ser feliz. Lute sempre pelos seus sonhos. Seja profundamente apaixonado pela vida. Pois a vida é um espetáculo imperdível.


Augusto Cury

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Você mora dentro de mim

"Eu te Amo...
e te amarei durante toda minha eternidade...
Te amarei nos seus gestos,
Te amarei no seu sorriso,
Te amarei na sua voz,
Te amarei no que você é!
Sim, eu te amarei em tudo...
No ar que respiramos,
num simples cântico dos pássaros,
no alvorecer, no crepúsculo,
na morte...
Eu te amarei no sol que explode sua luz para iluminar a Terra.
Te amarei nas chuvas que caem... Na vida... No fim...
E Nem mesmo o céu ou o inferno podem tirar esse sentimento de mim.
Sim, eu quero te amar,
Te amar nas minhas horas de tristezas,
pois sua lembrança só me traz alegrias...
Te amar quando a alegria chegar,
pois amor e alegria é a própria felicidade
e sou feliz enquanto te amo...
Sim, mesmo que em minha vida exista trevas,
Quero te amar.
Mesmo que o amor se torne algo extinto,
Quero te amar.
Mesmo que a luz do mundo se acabe,
Quero te amar.
E somente a vontade de Deus
seria capaz de me tirar todo esse amor
que alimenta minha própria existência...
Você mora dentro de mim..."



Desconhecido

domingo, 5 de outubro de 2008

Outonos e Primaveras...


Primavera é tempo de ressurreição. A vida cumpre o ofício de florescer ao seu tempo. O que hoje está revestido de cores precisou passar pelo silêncio das sombras. A vida não é por acaso. Ela é fruto do processo que a encaminha sem pressa e sem atropelos a um destino que não finda, porque é ciclo que a faz continuar em insondáveis movimentos de vida e morte. O florido sobre a terra não é acontecimento sem precedências. Antes da flor, a morte da semente, o suspiro dissonante de quem se desprende do que é para ser revestido de outras grandezas. O que hoje vejo e reconheço belo é apenas uma parte do processo. O que eu não pude ver é o que sustenta a beleza.

A arte de morrer em silêncio é atributo que pertence às sementes. A dureza do chão não permite que os nossos olhos alcancem o acontecimento. Antes de ser flor, a primavera é chão escuro de sombras, vida se entregando ao dialético movimento de uma morte anunciada, cumprida em partes.

A primavera só pode ser o que é porque o outono lhe embalou em seus braços. Outono é o tempo em que as sementes deitam sobre a terra seus destinos de fecundidade. É o tempo em que à morte se entregam, esperançosas de ressurreição. Outono é a maternidade das floradas, dos cantos das cigarras e dos assovios dos ventos. Outono é a preparação das aquarelas, dos trabalhos silenciosos que não causam alardes, mas que mais tarde serão fundamentais para o sustento da beleza que há de vir.

São as estações do tempo. São as estações da vida.

Há em nossos dias uma infinidade de cenas que podemos reconhecer a partir da mística dos outonos e das primaveras. Também nós cumprimos em nossa carne humana os mesmos destinos. Destino de morrer em pequenas partes, mediante sacrifícios que nos faz abraçar o silêncio das sombras...

Destino de florescer costurados em cores, alçados por alegrias que nos caem do céu, quando menos esperadas, anunciando que depois de outonos, a vida sempre nos reserva primaveras...

Floresçamos.


Pe. Fabio de Melo
Fonte http://www.fabiodemelo.com.br/

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

As 10 competências que seu filho precisa aprender

Não estamos falando de idiomas nem de MBAs: para ser bem-sucedido num mundo de mudanças rápidas e valores sociais em alta, o profissional do futuro terá que mostrar habilidades e comportamentos que não se aprendem na escola. E você é parte vital dessa preparação

Suzana Lakatos e Fábio Mello
Os pais começam a se preocupar com o futuro dos filhos cada vez mais cedo. A antiga segurança de que o diploma universitário garantiria um bom emprego já não existe. E uma pesquisa do IBGE de 2006 mostrou que 53% dos brasileiros trabalham em profissões diferentes daquelas para as quais se formaram. "Da noite para o dia, surgem novas ocupações, enquanto outras ficam obsoletas", diz a consultora Rijane de Mont'Alverne, presidente do conselho deliberativo da ABRH Nacional - Associação Brasileira de Recursos Humanos. Nesse cenário, a boa formação acadêmica é apenas o bilhete de ingresso para uma dança das cadeiras, em que a conquista de um lugar exige competências que não se aprendem na escola. "Hoje se considera que apenas 15% do sucesso profissional deva-se à formação acadêmica", afirma a psicóloga Mary Nicoliello, que orienta executivos e adolescentes em busca de preparação profissional. "Os 85% restantes estão ligados a questões comportamentais, como a habilidade de lidar com o inesperado, a autonomia e a capacidade de interagir com culturas e pessoas diferentes.
"Por que de repente essas características se tornaram tão importantes? Em parte, a explicação está no boom de tecnologias a partir dos anos 80. "Atualmente, você interliga experiências, cria redes de interesses sem restrições geográficas e qualquer um aprende com facilidade inúmeras atividades", analisa o psicoterapeuta Leo Fraiman, da Teenager Assessoria Profissional, em São Paulo. Com isso, as competências comportamentais tornaram-se um valor de mercado. "Os grandes diferenciais hoje, atitude e caráter, são desenvolvidos desde a primeira infância. A escola pode até ajudar, mas a família é determinante", garante o headhunter Luiz Carlos Cabrera, professor de gestão de pessoas da Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Já se sabe que crianças cujos pais participam da vida escolar têm melhor rendimento, disciplina e habilidades sociais. Mas é possível ir além. "O segredo é estar próximo do garoto ou da garota e avaliar aspectos como iniciativa, coragem, dinamismo, empatia, criatividade, capacidade de lidar com adversidades e facilidade de relacionamento. O segundo passo é investir em atividades esportivas e artísticas que ponham à prova os pontos fracos de cada um. A natação, por exemplo, exige disciplina, enquanto a música desenvolve o raciocínio lógico e a criatividade", aconselha Cabrera. No dia-a-dia, com pequenas atitudes, você pode contribuir para o desenvolvimento das dez competências e habilidades que vão fazer do seu filho um profissional bem-sucedido e antenado com o futuro. Veja quais são elas e que parte cabe a você.

1 Flexibilidade
Os avanços em todas as áreas acontecem cada vez mais rápido. É fundamental cultivar múltiplos interesses, manter-se atualizado e estar disposto a abrir mão de antigas convicções em favor das novas descobertas. Também não dá para saber o que será essencial no futuro. Por isso é tão importante cultivar a desenvoltura para transitar por diferentes ocupações.
O QUE AJUDA "O hábito da leitura é básico em um mundo que exige formação continuada", aconselha Leo Fraiman. Os livros ensinam a pensar, imaginar, criar, analisar o mundo e as pessoas." Por isso, vale a pena estimular seu filho a ler, mas também é ótimo compartilhar os livros e conversar interessadamente sobre o que ele está lendo.

2 Convivência
Conviver e lidar com pessoas de outras culturas, ritmos, estilos, valores e crenças é indispensável no mundo atual, de acordo com Leo Fraiman. Hoje, a maioria das empresas de sucesso procura recrutar perfis diferentes para reproduzir internamente a realidade do mercado. Como as organizações estão cada vez mais enxutas, características como bom humor, respeito e educação facilitam o convívio.
O QUE AJUDA Estabeleça limites claros e exija que seu filho os cumpra. Mostre a importância de respeitar regras, como horários e uso do uniforme escolar. Ensine-o a perceber os códigos sociais de cada situação - como adotar postura e roupa adequada ao ambiente - e a desenvolver empatia pelas necessidades e valores das outras pessoas.

3 Iniciativa
É um trunfo surpreender o cliente ou o empregador com soluções que ultrapassem as expectativas. Em um mundo dinâmico e em constante transformação, ficar preso a antigas fórmulas pode ser um tiro no pé para o desenvolvimento de uma carreira de sucesso.
O QUE AJUDA Proporcione programas variados - nas artes, na música, no esporte - para que seu filho adquira interesses diversificados e se sinta especialmente motivado a buscar atividades em áreas múltiplas. Além disso, segundo Fraiman, ele precisa ser treinado para "se virar": tornar-se independente e buscar soluções para os problemas. Os pais podem oferecer apoio, mas devem resistir à tentação de resolver tudo no lugar dele.

4 Ética
As próximas gerações precisarão adotar posturas íntegras em relação a trabalho, colegas, fornecedores, clientes e parceiros. As empresas estão cada vez mais aprendendo que o "jeitinho" pode comprometer sua imagem e levar à perda de negócios. A sustentabilidade é outro lema atual do mundo corporativo e implica ser ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável. "Na rotina profissional, isso se traduz em atitudes como não querer tirar vantagem do outro, remunerar adequadamente funcionários e prestadores de serviços, pagar impostos e reciclar materiais", ensina Tania Casado, professora de gestão de pessoas da Faculdade de Economia e Administração da USP.
O QUE AJUDA Valores claros dentro de casa contribuem para consolidar atitudes éticas. "Pais que não respeitam semáforo, jogam lixo pela janela do carro e desperdiçam água e energia não podem esperar que o filho tenha condutas corretas", alerta Tania. "Os exemplos começam em casa." Outra boa medida é discutir em família fatos cotidianos que coloquem aspectos éticos em xeque, como os recentes casos de corrupção.

5 Criatividade
Está ligada à capacidade de mudança e inovação, à imaginação, à sensibilidade e ao senso estético. No dia-a-dia de uma empresa, significa aceitar que existem diferentes saídas para um mesmo problema.
O QUE AJUDA Varie os caminhos entre casa e escola, busque programas diferentes para realizar em família e proponha desafios, como o de preparar a própria comida em vez de descongelar uma pizza. Idas ao cinema, teatro, exposições e espetáculos devem ser incentivadas, pois essas atividades alimentam a imaginação.

6 Escolha
Curso de inglês ou de música? Intercâmbio cultural agora ou uma poupança para fazer MBA no exterior mais tarde? "Boas escolhas exigem boa visão de conjunto, análise de prós e contras, percepção de diferentes perspectivas e pensamento em curto, médio e longo prazo." É assim que Fraiman define essa capacidade, que con sidera essencial em todos os momentos da vida - seja para se posicionar diante dos pequenos dilemas do cotidiano, seja para tomar decisões em uma mesa de negociação.
O QUE AJUDA Convide seu filho a participar de decisões em família e a avaliar com você os aspectos bons e desfavoráveis de cada alternativa. Da escolha do restaurante no domingo à roupa adequada a um evento, estimule- o a selecionar o que acha mais razoável e explique que nem sempre se pode ter ou fazer o que se deseja.

7 Auto-estima
"A convicção de ter um papel ativo no mundo e a confiança na própria capacidade caracterizam a auto-estima, que fornece a coragem necessária para levar adiante qualquer projeto", define Fraiman. Mas ela não deve ser confundida com o ego inflado de quem se acha capaz de tudo", explica. Segundo ele, as pessoas mais felizes não são as que se dedicam mais ao lazer, mas as que estabelecem um maior número de atitudes construtivas com o mundo. Isso faz com que se sintam úteis e importantes.
O QUE AJUDA Incentive seu filho a participar socialmente e a ter posturas positivas diante da vida. Se ele é do tipo que vive fazendo projetos grandiosos, ajude-o a planejar metas parciais e objetivas, mais possíveis de alcançar, para que siga acreditando na própria capacidade de realizar sonhos. Na hora de fazer uma crítica, procure condenar o comportamento e não a pessoa.

8 Maturidade
Essa qualidade envolve responsabilidade, disciplina e integridade. "Muito do caos que se vê no país de hoje, como a recente crise no setor aéreo, é um reflexo da falta de maturidade e de comprometimento com os resultados por parte de dirigentes de todas as esferas administrativas do país", afirma Fraiman.
O QUE AJUDA Encarregue seu filho de ajudar nas tarefas domésticas e cobre-o por elas. Diante de pedidos fúteis, procure deixar clara a diferença entre "querer" e "precisar". Exigir que peça desculpas quando pisar na bola pode soar artificial, mas é importante para que ele tome consciência das possíveis conseqüências dos seus atos.

9 Controle
Em tempos de competição acirrada, quem respeita os próprios limites e aprende a relaxar na hora certa tem maior serenidade para fazer boas escolhas, focar metas, eleger prioridades e lidar com fatos novos.
O QUE AJUDA Não sobrecarregue seu filho com o excesso de tarefas. Estabeleça uma rotina que o ajude a conciliar responsabilidade e lazer, como fazer a lição primeiro e sair com os amigos depois. Incentive-o a montar uma agenda selecionando os compromissos da semana e mostre que uma boa organização evita desgastes desnecessários.

10 Comunicação
Significa dizer o que pensa, mas na hora certa, para a pessoa certa e do jeito certo. Essa qualidade envolve a capacidade de expressar idéias e pensamentos, sempre de maneira clara, fluente e organizada.
O QUE AJUDA Observe a maneira como seu filho se expressa. Analise se ele usa muitas gírias e se consegue estabelecer uma linha de raciocínio lógica. Estimule a discussão sobre temas polêmicos e, principalmente, converse muito a respeito dos mais variados assuntos.

Pilares do sucesso
"O desafio é educar o jovem para o trabalho, e não para o emprego." Quem faz o alerta é Luiz Carlos Cabrera, professor de gestão de pessoas da FGV-SP. Segundo ele, no futuro não haverá emprego para todos, mas não faltará trabalho para quem tiver espírito empreendedor. "Os pais podem ensinar o filho a administrar a própria vida, por exemplo distribuindo a renda dele, mesmo que ela seja uma pequena mesada, em 'fundos', aos quais poderá recorrer mais tarde", orienta Cabrera. "Eles devem pensar no filho como alguém que um dia buscará um lugar no mercado", acredita Tania Casado, professora de gestão de pessoas da FEA-USP. Ela destaca os três pilares do sucesso:KNOW-HOW É o que se aprende na escola, como os idiomas. Sempre foi um aspecto muito valorizado.
KNOW-WHY Implica motivar o filho a se conhecer e descobrir os próprios desejos e talentos naturais.
KNOW-WHO É a rede de relacionamentos, ou network. Essas relações devem ser fortalecidas com comportamentos éticos e responsáveis. Isso porque, no futuro, seus membros poderão indicar o jovem a uma vaga, facilitar um contato ou plano de carreira.

Fonte http://claudia.abril.com.br/materias/2519/

27 habilidades que seu filho precisa para viver bem e a escola não ensina

Todo mundo sabe que nosso sistema escolar, em geral, não está proporcionando a nossas crianças o básico de leitura, escrita e as demais habilidades necessárias para ser competitivo no mercado de trabalho atual (claro que estou generalizando, mas não pretendo discutir isso aqui).

Só que há muito mais na vida do que esses temas básicos e, a menos que você tenha fantásticos professores dispostos a romper os modelos de ensino estabelecidos, seu filho não está aprendendo coisas cruciais que ele PRECISA para a vida.

Pense sobre suas próprias experiências. Quando você saiu do ensino médio, sabia tudo que era necessário para ser independente, sobreviver e ter sucesso na vida? Tenho certeza de que sua resposta foi não. E digo mais, se você teve sorte, saiu de lá sabendo ler, com alguns conceitos de história e matemática. E com mais sorte ainda, adquiriu alguns hábitos de estudo que lhe ajudaram durante aquela época.

Mas você estava preparado para a vida? É claro que não, a não ser que seus pais tenham lhe feito esse favor. O fato é que muitos de nós desperdiçamos boa parte da nossa vida adulta jovem exatamente por não conhecermos tais habilidades — e as conseqüências estendem-se por muitos e muitos anos.

“Aprender essas coisas faz parte da vida”, você pode dizer. Mas é possível preparar seu filho um pouco antes dele fazer tudo sozinho. Se nós não podemos contar com a escola, então façamos nós mesmos.

As dicas seguintes são um “currículo de vida“ básico que uma pessoa deveria aprender antes de se tornar adulta. Provavelmente há dezenas de outras habilidades que você pode adicionar a essa lista, mas ao menos esse pode ser um ponto de partida.

Uma nota sobre como ensinar isso tudo: Esses assuntos não podem ser ensinados por livros ou nada do gênero. Eles só podem ser transmitidos com uso de exemplos práticos e conversas mostrando como a coisa funciona. Além disso, é fundamental permitir que a própria criança (ou adolescente) execute as tarefas (sendo supervisionado, no início). Uma vez que você tenha lhe falado sobre a habilidade, mostrado como desenvolvê-la (ou executá-la), deixe-o fazer sob sua supervisão. Dê ao seu filho a confiança que ele precisa e deixe-o aprender com seus próprios erros. Depois, tenha uma nova conversa para checar o que ele aprendeu.

Finanças

Economizando: Gastar menos do que você ganha. Essa é uma máxima muito simples, mas que pouquíssimos jovens adultos entendem ou sabem seguir. Ensine desde cedo a colocar parte do que ele recebe no banco (sim, abra uma conta de banco só dele). Ensine-o como definir um objetivo para suas economias e zelar por ele, até arrecadar o suficiente para comprar o que tanto deseja.
Controle financeiro: Muitos de nós adultos deixamos isso de lado. E sofremos por causa disso. O fato que é não temos o conhecimento e as habilidades necessárias para tornar o controle financeiro um hábito. Ensine seu filho técnicas simples para controlar seu dinheiro, assim ele não terá problemas quando adulto. Você pode esperar até a adolescência para ensinar isso — também é algo muito bom pois ele vê porque os conhecimentos de matemática são necessários.
Pagando contas: Dê a ele contas para pagar e faça com que pague no prazo certo. Ensine como fazer um cheque, fazer pagamentos online, e como ter certeza de que nunca terá as contas atrasadas — pagando-as imediatamente ou automaticamente.
Investindo: O que é um investimento e por que isso é necessário? Como fazer e quais as melhores maneiras de fazer? Como pesquisar um investimento? Essa é uma boa conversa para ter com seu garoto.
Moderando: Isso é algo para ensinar desde cedo. Como comprar de forma a fazer um bom negócio, comparar produtos de diferentes preços e qualidades, deixar coisas supérfluas por último e não agir pelo impulso, cozinhar em casa ao invés de sair para almoçar etc. Quando nós vamos ao shopping e compramos sacolas e sacolas — no natal, por exemplo –, estamos ensinando exatamente o contrário do que deveríamos.
Cartão de Crédito: Esse é um grande problema para muitos adultos. Ensine a responsabilidade que envolve usar um cartão de crédito, como deixá-lo de lado quando não for necessário, como evitar um débito enorme no final do mês, enfim, como usá-lo da maneira correta.
Aposentadoria: É melhor trabalhar duro por um longo tempo e depois se aposentar ou tirar mini aposentadorias durante a vida? Isso é uma questão pessoal (e a maioria das pessoas escolhe a primeira opção), mas é bom que seu filho conheça ambas, os prós e contras de cada uma e como alcançá-las. Fale também sobre a importância de começar a investir na aposentadoria ainda quando jovem e a diferença que isso pode fazer, devido aos juros acumulados.
Caridade: Por que esse é um importante uso para o dinheiro e como tornar isso um hábito regular. Essa não é apenas uma questão financeira, mas também social. Mostre como voluntariar seu tempo e esforço.

Pensamento

Pensamento crítico: Uma das habilidades mais importantes que não é ensinada na escola. Hoje em dia, nós estamos cada vez mais sendo manipulados como robôs: ouvir o professor sem questionar, aceitar o que nos dizem e não refletir sobre aquilo, a sermos bons “colaboradores” e ficarmos calados. Se você é um empregador, talvez queira que seus funcionários sejam assim, e se você é um político, talvez queira que o povo seja assim. Mas como você quer que seu filho seja? Alguém que não questiona, um cidadão/empregado/estudante ignorante? Se esse for seu desejo, vá em frente. Caso contrário, comece a praticar com ele os hábitos de perguntar “por quê?”, de procurar respostas — não simplesmente esperar que elas o encontrem — e de questionar a autoridade alheia. Nunca há apenas uma resposta certa. A conversa é o melhor caminho para treinar essas habilidades.
Ler: Claro, nós somos estimulados a ler. Mas a escola geralmente torna isso entediante e chato. Mostre os maravilhosos mundos que existem em sua imaginação através da leitura. Mostre como encontrar conteúdo do mundo inteiro através da internet e como avaliar sua credibilidade, lógica e coerência.

Sucesso


Pensamento positivo: O pensamento crítico é uma habilidade importante, mas também é necessário que tenhamos uma visão positiva da vida. Claro, as coisas podem estar dando errado agora, mas elas sempre podem mudar para melhor. Ensine a encontrar soluções ao invés de desculpas. E o mais importante: a acreditar em si mesmo e bloquear pensamentos negativos.
Motivação: Ensine que disciplina não é a chave para alcançar um objetivo, mas sim motivação. Mostre diferentes formas de manter-se motivado e como nos sentimos bem ao alcançar um objetivo. Inicie fazendo-o praticar com objetivos pequenos e fáceis e deixe-o desenvolver essa habilidade.
Procrastinação: Esse é um problema que todos nós enfrentamos quando adultos (e mesmo quando crianças). Devemos reservar algum tempo para simplesmente não fazer nada, mas quando há algo para fazer que realmente deve ser feito, como podemos deixar a preguiça de lado e não “deixar para amanhã”? Ensine as razões por trás da procrastinação e como lidar com elas.
Paixão: Um dos caminhos mais importantes para ter sucesso é encontrar algo pelo qual você tenha paixão. Seu filho ainda não sabe a resposta devido a idade, mas você deve mostrar como encontrar essa paixão, como lutar por ela e porque ela é tão importante.

Social


Anti-competição: Quando crianças, nós somos ensinados a ser competitivos. No mundo adulto, portanto, esse é um comportamento comum. Como resultado disso, temos falta de estabilidade, problemas emocionais, ressentimentos e outras coisas que não ajudam em nada na nossa vida. Ao invés disso, ensine seu filho que há espaço para todos obterem sucesso e como vai ser muito melhor ajudar alguém a ter sucesso junto com você, ao invés de “pisar” nas pessoas. Ensine que fazer amigos e aliados é muito melhor que fazer inimigos. Ensine sobre cooperação e trabalho em equipe antes de ensiná-lo competir.
Compaixão: A escola, ao invés de ensinar as crianças como lidar com os outros e não fazê-los sofrer, ensina exatamente o contrário. Ensine como colocar-se no lugar dos outros, em várias situações, tentar entendê-los e ajudar acabar com seu sofrimento.
Amor: Compaixão é um sentimento fraterno. O amor é diferente porque ao invés de querer amenizar o sofrimento dos outros, você quer sua felicidade. Ambos são cruciais.
Saber ouvir: Na escola, nossos filhos são ensinados a ouvir ou como falar com as outras pessoas? A resposta é não. Talvez seja por isso que muitos adultos simplesmente não sabem conversar. Ensine como ouvir as outras pessoas, entender o que elas dizem e interagir quando necessário.
Conversação: É muito relacionada com saber ouvir. A escola ensina que conversar é algo ruim na maioria dos casos. Mas pelo contrário, na maioria dos casos, conversar é algo necessário. Essa é uma habilidade social extremamente importante que deveria começar em casa. Ensine seu filho a conversar com, ao invés de falar para.

Habilidades Práticas

Carros: Por que os carros são necessários (não, não para exibir para os amigos), como comprar um carro bom e como cuidar dele. Como funciona o motor, o que pode dar problemas e como consertá-los. Você não precisa ser um grande mecânico, mas ensine o básico. Acho que eu não precisaria falar que isso serve tanto para meninos quanto para meninas, mas…
Casa: Como consertar coisas dentro de casa e como manter tudo funcionando. Encanamento, eletricidade, aquecimento e resfriamento, pintura, cobertura, gramado e tudo o mais que for preciso. Mostre as ferramentas e ensine o básico sobre essas pequenas manutenções. Ah! E também quando saber que é hora de chamar um profissional.
Limpeza: Muitos adultos vivem sem saber usar uma máquina de lavar roupas, limpar a casa decentemente e mantê-la organizada. Eles sequer têm uma rotina de limpeza semanal ou mensal. Ensine ao seu filho como fazer tudo isso, ao invés de simplesmente mandá-lo fazer.
Organização: Como manter a papelada organizada, as coisas em seus lugares, seguir uma lista de afazeres e focar-se nas tarefas mais importantes.

Felicidade

Viver o agora: Por alguma razão, isso nunca é ensinado a nós quando crianças. Na verdade, quanto mais jovens somos, mais natural é esse comportamento. Quando envelhecemos, começamos a pensar sobre o futuro e o passado, e deixamos o presente de lado.
Aproveitar a vida: As crianças não têm muitos problemas com isso, mas alguns avisos sobre sua importância e lembrar de fazer isso quando adultos, podem ser úteis. Seja um bom exemplo e seu filho o seguirá.
Encontrar um propósito: Não importa se é um propósito religioso, um propósito de fazer sua família feliz, ou de encontrar sua vocação. Ter um propósito na vida é extremamente importante. Ensine seu filho a importância disso e como encontrar seu próprio propósito.
Desenvolver relacionamentos íntimos: O melhor meio de ensinar isso é desenvolvendo um relacionamento íntimo com seu filho e modelar isso com seu cônjuge. Ensine a criança como desenvolver relacionamentos desse tipo e fale sobre sua importância. Não esqueça de falar que todos os relacionamentos têm fases ruins, mas com comunicação, empatia e compromisso, podemos passar por elas.


Texto adaptado e traduzido do Blog Zen habits, o post original pode ser encontrado em 27 Skills Your Child Needs to Know That She’s Not Getting In School.

Fonte

http://www.lendo.org/27-habilidades-que-seu-filho-precisa-para-viver-bem-e-a-escola-nao-ensina/

terça-feira, 30 de setembro de 2008

MANUAL DA ETIQUETA SUSTENTÁVEL

50 DICAS para enfrentar o aquecimento global e outros desafios da atualidade
VEJA COMO É POSSÍVEL PROMOVER PEQUENOS GESTOS QUE CONDUZIRÃO A GRANDES MUDANÇAS SE FOREM ADOTADOS POR TODOS

O jogo mudou

Ecologia deixou de ser um assunto restrito a entusiastas e cientistas. O tema, muitas vezes visto como árduo no passado, agora ocupa as manchetes de jornais e, até, as colunas sociais.
O que era chato ficou chique. Empresas, mídia, governos, bancos, astros de Hollywood e do Brasil passaram a discutir – com urgência – como fazer para salvar o homem do aquecimento global e melhorar a qualidade de vida na Terra.
A noção de sustentabilidade – desenvolvimento que não compromete o futuro – começa a ganhar as ruas. O movimento Planeta Sustentável faz parte dessa corrente que pretende amenizar nosso impacto sobre o ambiente e tornar a convivência social cada vez mais civilizada.
Este manual quer provar como é possível promover pequenos gestos que conduzirão a grandes mudanças se forem adotados por todos nós. Um bom começo é praticar os “três erres”: reduzir, reutilizar e reciclar. As dicas e informações que você vai ler aqui podem ser aplicadas no dia-a-dia agora mesmo, em sua própria casa, no trabalho, circulando pelas ruas e em sua vida pessoal.
A luta pela sustentabilidade será vencida em diversas frentes – que vão da tecnologia à política. Mas em todas elas será preciso a mudança de hábitos pessoais. Veja como começar a modificar os seus. É preciso fazer algo. E devemos fazer já.

O que você precisa saber para fazer um planeta melhor
Entenda porque é tão importante reduzir o consumo de três itens imprescindíveis nos dias de hoje: água, energia elétrica e combustíveis.

Água: Ela até cai do céu, mas é um recurso esgotável e raro em muitos lugares do mundo. Se, em apenas cinco minutos, você escovar os dentes com a torneira escancarada, 12 litros de água potável serão desperdiçados.

Energia elétrica: O consumo cada vez maior requer a construção de mais usinas hidrelétricas e mais florestas vão desaparecer para dar lugar a elas. O simples gesto de desligar as luzes dos ambientes, quando estiverem vazios, pode ajudar a evitar isso.

Combustíveis: A queima dos fósseis, como o diesel e a gasolina, é a maior responsável pela emissão de gases do aquecimento global. Segundo o urbanista e ex-prefeito de Curitiba Jaime Lerner, “nas grandes cidades são produzidos 75% de todo o CO2 jogado na atmosfera”. Pense nisso antes de entrar no carro só para ir à padaria da esquina.

NA RUA de 1 a 6
Como percorrer a cidade onde mora de maneira mais amigável

1- Na hora de comprar um carro, faça um cálculo simples de qual o tamanho ideal para suas necessidades. Veículos maiores consomem e poluem mais. Modelos do tipo flex fuel estão adequados às normas de proteção ao meio ambiente. Lembre-se: prefira abastecer com etanol.

2- Carro não é o meio de transporte ecologicamente mais correto. Use-o com moderação, em especial se tiver um enorme 4x4 a diesel. Ande mais em transporte coletivo ou reabilite sua magrela.

3- Compartilhe seu carro. “Pratique a carona solidária e diminua a emissão de poluentes, levando pessoas que fariam o mesmo trajeto separadamente”, recomenda o ambientalista Fábio Feldmann. Você vai se tornar o cara mais simpático da cidade.

4- Carro requer manutenção, não tem jeito. Faça uma regulagem periódica, sempre que possível. Troque o óleo nos prazos indicados pelo fabricante, verifique filtros de óleo e de ar. Todas essas medidas economizam combustível e ajudam a despejar menos CO2 no ar.

5- Que tal lavar o carro a seco? Existem diversas opções de lavagem sem água, algumas até mais baratas do que a tradicional, que consome centenas de litros do precioso líquido. Pense também em lavar menos seu carro.

6- Tem atitude mais grosseira que atirar lata ou outros dejetos pela janela do carro? O castigo para essa gafe é garantido: os resíduos despejados na rua são arrastados pela chuva, entopem bueiros, chegam aos rios e represas, causam enchentes e prejudicam a qualidade da água que consumimos.

EM CASA de 7 a 31
Seu lar, doce lar, pode ser uma cidadela de sustentabilidade com algumas atitudes bem simples

7- Os aparelhos que ficam dia e noite em modo stand by são mais uma nova invenção em nome do conforto. Só esqueceram de dizer que isso consome energia sem necessidade. Puxe a tomada de todos eles quando não estiverem em uso e tenha certeza: o valor de sua conta de luz vai cair bastante.

8- Na hora de comprar eletrodomésticos, escolha os mais eficientes. É possível reconhecê-los pelo selo do Procel (nas marcas nacionais) ou Energy Star (nos importados). Detalhe: isso não custa nada.

9- Viva seu dia com luz natural. Abra janelas, cortinas, persianas, deixe o sol entrar e iluminar sua casa em vez de acender lâmpadas. Além de fazer muito bem ao seu humor, você também vai economizar dinheiro no fim do mês.

10- Mude sua geladeira e seu freezer de lugar. Ao colocá-los próximos do fogão e de áreas onde bate sol, eles utilizam muito mais energia para compensar o ganho de temperatura. Aproveite para avaliar com seus botões: será que você precisa mesmo de um freezer?

11- Idéia luminosa é trocar as lâmpadas incandescentes do banheiro, da cozinha, da lavanderia ou da garagem pelas fluorescentes. O motivo é para lá de convincente: elas duram até 10 vezes mais, são mais eficientes e economizam até um terço de energia elétrica.

12- Ventiladores de teto consumem muito menos energia que os aparelhos de ar condicionado. Tudo bem, você prefere o ar condicionado. Então, ao menos use-o racionalmente, com portas e janelas fechadas e os filtros regularmente limpos.

13- Evite a torneira elétrica nos dias quentes. Aliás, para quê esquentar a água da pia se vivemos num país tropical? Pense nisso.

14- Atire a primeira pedra quem nunca esqueceu o carregador do celular ligado na tomada. Acredite: esse pequeno descuido gasta energia elétrica.

15- Pendure as roupas no varal em vez de usar a secadora. Recorra a ela apenas em casos mais urgentes. E aquele truque de colocar panos e roupas para secar atrás da geladeira deve ser abolido, pois consome energia extra.

16- Não há nada mais fora de moda que usar a mangueira de água para varrer a calçada, a chamada “vassourinha hidráulica”. Em 15 minutos, 280 litros de água escorrem para o ralo inutilmente. Espante a preguiça, pegue a vassoura, junte a sujeira, recolha com a pá e só depois enxágüe o chão.

17- O que há de errado em tomar água “torneiral”? Saiba que ela é bem tratada antes de chegar a sua casa. então, instale um purificador na torneira e se esqueça dos incômodos garrafões. O consumo de água engarrafada envolve o transporte em veículos a diesel. É preciso dizer mais?

18- Fique de olho em vazamentos nos encanamentos e não deixe torneiras pingando inutilmente. É economia líquida e certa de água e de dinheiro.

19- Pense com carinho na possibilidade de colocar acumuladores de energia solar e de coleta de água das chuvas em sua casa. Novos prédios já estão tomando essas medidas. Pode ser um bom investimento para você. E um alívio para o planeta.

20- Muito luxo produz muito lixo. Pense antes de sair comprando tudo o que aparecer. Com essa atitude você faz a diferença, combatendo o desperdício, diminuindo a montanha de embalagens descartadas e, de quebra, espantando as dívidas.

21- Leve o campo para dentro de sua casa em plena cidade grande: cultive uma pequena horta em vasos ou mesmo num cantinho do quintal. Além da higiene mental, você colherá ervas, condimentos e hortaliças frescas diretamente da terra.

22- Restos de alimento que você despeja na lixeira são bons fertilizantes orgânicos. Parece incrível, mas espalhar casca de ovo, de fruta e de legume, pó de café, saquinho de chá e pão velho nos vasos ajuda a deixar as plantas mais fortes e bonitas.

23- Sofrer em engarrafamento para ir ao banco e depois testar a paciência numa fila interminável são coisas do passado. Faça uso da tecnologia, colocando em dia todas as suas transações financeiras pela internet, sem sair do conforto de casa.

24- Que tal fazer compras caminhando até o mercadinho perto de sua casa ou divertir-se indo à feira a pé toda semana? Vá lá, pode ser que um ou outro produto esteja um pouco mais caro que naquele hipermercado de sua preferência. Mas pense na economia de combustível e de paciência que você terá sem precisar procurar vaga no estacionamento lotado.

25- Prefira consumir produtos locais e da estação. Eles não precisam ser transportados de longa distância e, por isso, a emissão de carbono e de poluição é mínima. Saiba que a última moda nos melhores restaurantes da Itália é o “cardápio 0 km”. eles servem apenas pratos feitos com ingredientes provenientes de produtores da vizinhança.

26- Despreze os produtos descartáveis. Escolha os feitos para serem duráveis, como era nos tempos de nossos avós. Tenha a certeza de que com essa simples atitude você estará dando o pontapé inicial para diminuir a quantidade de lixo que a humanidade produz.

27- Pare e pense bem antes de descartar todos aqueles objetos que já não interessam mais a você. Que tal doá-los a alguma entidade assistencial? Esse material que está apenas ocupando espaço em sua casa certamente será útil para muita gente.

28- Um dos grandes problemas da poluição dos mananciais vem de um hábito difícil de mudar: jogar o óleo de fritura usado no encanamento. Um litro de óleo pode contaminar até um milhão de litros de água. Separe o óleo em garrafas PET para doá-lo a ONGs que fazem biodiesel e sabão com ele.

29- Não jogue pilhas e baterias de celular velhas no lixo. Elas contêm substâncias tóxicas que contaminam o solo e os lençóis freáticos. Separe todas elas e procure um posto de coleta perto da sua casa. Aproveite para diminuir o consumo de pilhas descartáveis com o uso de pilhas recarregáveis.

30- “Ao fazer compras, leve sua própria sacola, de preferência as de pano resistente”, aconselha o presidente do Instituto Ethos, Ricardo Young. Com esse gesto simples, você deixará de participar da farra das sacolinhas plásticas, que entopem cada vez mais os lixões das grandes cidades.

31- Procure saber a procedência dos produtos que você consome. Fuja de produtos de empresas com referências suspeitas. Adote o costume de ler as embalagens e ligar para o serviço de atendimento ao cliente quando tiver alguma dúvida sobre o produto.

NO TRABALHO de 32 a 41
Faça o possível para mudar os hábitos da sua empresa. Ou mude de empresa

32- Lute para que a companhia onde você trabalha adote atitudes mais sustentáveis. Pressione para que a direção da empresa tome medidas de economia de energia elétrica, água e materiais de consumo. Bem, se você não conseguir mudar nada, pense seriamente em mudar de emprego. Afinal de contas, você não precisa de chefe para ser bom cidadão.

33- Desabilite seu screen saver cheio de efeitos especiais. O monitor ligado, mesmo com aquele descanso de tela bacana, é responsável por até 80% do consumo do computador. Configure sua máquina para o modo de economia de energia. Assim, ele vai desligar automaticamente toda vez que você se ausentar.

34- A quantas reuniões rápidas você já teve de ir depois de enfrentar horas no trânsito para ir e voltar? Às vezes é possível resolver isso por telefone ou em programas de comunicação on-line de seu próprio computador.

35- Se tiver chance, prefira um notebook. Ele consome menos energia que um computador de mesa.

36- Prefira o papel ecoeficiente ou o reciclado. A produção do ecoeficiente usa os recursos da natureza de maneira racional. Tem como matéria-prima o eucalipto plantado para essa finalidade e colhido após sete anos. Para ficar com a aparência que todos conhecem, enfrenta processo de branqueamento. O papel ecoeficiente é feito de fibra de árvores manejadas de forma sustentável, evitando o impacto negativo no meio ambiente.

37- Já reparou na quantidade de copos de plástico jogados no lixo no fim do expediente? Mude isso: traga de casa sua própria caneca ou uma garrafinha para água. Você ditará moda entre os colegas.

38- Quando precisar dos serviços de um portador prefira chamar um bikeboy, em vez de um motoboy. Além de mais barato, ele entrega seus documentos com maior rapidez. O que é melhor: sem poluir o ar nem provocar engarrafamentos.

39- Coloque nos seus planos trocar seu monitor comum por um de LCD. Eles são mais econômicos, ocupam menos espaço na mesa e estão ficando cada vez mais baratos.

40- Economize CDs e DVDs, que são feitos de plástico. A onda agora usar e abusar de mídias regraváveis como CD-RW ou DVD-RW, drives USB ou mesmo utilizando e-mail para carregar ou partilhar arquivos.

41- Imprima somente o que for mesmo necessário e procure aproveitar os dois lados da folha de papel. Tá certo, essa é uma daquelas dicas que você conhece bem. Mas a está colocando em prática?

NA VIDA PESSOAL de 42 a 50
Transforme-se em um cidadão sustentável. Pequenos gestos podem produzir grandes resultados

42- Não troque seu celular por puro impulso. Se não resistir à tentação de comprar aquele modelo que só falta falar, ao menos deixe o seu modelo antigo na revendedora para reciclagem.

43- Esqueça-se do elevador e use mais a escada se tiver de subir ou descer um ou dois andares. Afinal, além da economia de energia elétrica, tanto esforço pode resultar em um corpinho mais saudável.

44- Faça seu dinheiro trabalhar a favor de causas nobres. diga ao gerente do banco que você quer aplicar em investimentos socialmente responsáveis, os ISRs. Dessa forma, seus lucros virão de empresas que respeitam práticas ambientais e trabalhistas.

45- Exerça a cidadania. A internet e o telefone são bons canais de comunicação com representantes de sua cidade, seu estado ou país. Mobilize-se e certifique-se de que seus interesses e os da comunidade sejam atendidos.

46- "Plante uma árvore. Ela pode absorver até 1 tonelada de CO2 durante sua vida e é bom abrigo para aves”, ensina Xico Graziano, secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Se você é daqueles que não gostam de sujar as mãos, ao menos inscreva-se em programas de plantio pela internet, como o Clickarvore.

47- Participe de sua comunidade, seja voluntário de uma instituição próxima da sua casa ou do trabalho. Doe um pouquinho do seu tempo para quem precisa.

48- Conscientize seus filhos dos problemas com o aquecimento global sem fazer terrorismo. A idéia não é deixá-los sem esperança, mas bem informados e dispostos a cuidar melhor do planeta que as gerações passadas.

49- Convença aquele amigo, parente ou vizinho mais cético de que as atitudes aqui sugeridas podem ajudar a mudar o mundo para melhor. Se você é o cético, comece a convencer-se disso. Afinal, alguém tem de fazer alguma coisa para reverter esse jogo a favor da sustentabilidade.

50- Fuja da alienação e influencie pessoas. Estar sempre bem informado também é um bom exemplo de atitude cidadã. Procure ler mais para ficar atualizado nos assuntos de interesse geral como política, economia, meio ambiente e sustentabilidade.

Fonte http://planetasustentavel.abril.uol.com.br/cartilha/

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Desiderata

Encontrado na velha Igreja de Saint Paul, Baltimore, datado de 1692)
Do Latim desideratu: aquilo que se deseja, aspiração.



Vá placidamente por entre o barulho e a pressa e lembre-se da paz que pode haver no silêncio.

Tanto quanto possível, sem capitular, esteja de bem com todas as pessoas.

Fale a sua verdade calma e claramente; e escute os outros, mesmo os estúpidos e ignorantes; também eles têm sua história.

Evite pessoas barulhentas e agressivas. Elas são tormento para o espírito.

Se você se comparar a outros, pode tomar-se vaidoso e amargo; porque sempre haverá pessoas superiores e inferiores a você.

Desfrute suas conquistas assim como seus planos. Mantenha-se interessado em sua própria carreira, mesmo que humilde; é o que realmente se possui na sorte incerta dos tempos.

Exercite a cautela nos negócios; porque o mundo é cheio de artifícios. Mas não deixe que isso o torne cego à virtude que existe; muitas pessoas lutam por altos ideais; e por toda parte a vida é cheia de heroísmo.

Seja você mesmo. Principalmente não finja afeição, nem seja cínico sobre o amor; porque em face de toda aridez e desencantamento ele é perene como a grama.

Aceite gentilmente o conselho dos anos, renunciando com benevolência às coisas da juventude.

Cultive a força do espírito para proteger-se num infortúnio inesperado. Mas não se desgaste com temores imaginários. Muitos medos nascem da fadiga e da solidão.

Acima de uma benéfica disciplina, seja bondoso consigo mesmo. Você é filho do Universo, não menos que as árvores e as estrelas.

Você tem o direito de estar aqui. E, quer seja claro ou não para você, sem dúvida o Universo se desenrola como deveria.

Portanto, esteja em paz com Deus, qualquer que seja sua forma de concebê-lo e seja qual for a sua lida e suas aspirações, na barulhenta confusão da vida, mantenha-se em paz com a sua alma.Com todos os enganos, penas e sonhos desfeitos, este é ainda um mundo maravilhoso.

Esteja atento.

Empenhe-se em ser feliz.

Iniciativa X Acabativa

Isto é um teste de personalidade que poderá alterar a sua vida.

INICIATIVA é a capacidade que todos nós temos de criar, iniciar projetos e conceber novas idéias.Algumas pessoas têm muita iniciativa e outras têm pouca.
ACABATIVA é um neologismo que significa a capacidade que algumas pessoas possuem de terminar aquilo que iniciaram ou concluir o que outros começaram. É a capacidade de colocar em prática uma idéia e levá-la até o fim.

Os seres humanos podem ser divididos em três grupos, dependendo do grau de iniciativa e acabativa de cada um:

- Os empreendedores, os iniciativos e os acabativos - sem contar os burocratas.

- Negociadores são aqueles que têm iniciativa e acabativa. Um seleto grupo que não se contenta em ficar na idéia e vai a campo implantá-la.

- Iniciativos são criativos, têm mil idéias, mas abominam a rotina necessária para colocá-las em prática. São filósofos, cientistas, professores, intelectuais e a maioria dos economistas que nunca assinaram uma promissória. Acabativa é o ponto fraco desse grupo.
- ACABATIVOS são aqueles que gostam de implantar projetos. Sua atenção vai mais para o detalhe que para a teoria. Não se preocupam com o imenso tédio da repetição do dia-a-dia e não desanimam com as inúmeras frustrações da implantação. Nesse grupo está a maioria dos executivos, empresários, administradores e engenheiros.
Essa singela classificação explica muitas das contradições do mundo moderno.
Empresários descobrem rapidamente que ficar implantando suas próprias idéias é coisa de empreendedor egoísta. Limita o crescimento. Existem mais pessoas com excelentes idéias do que pessoas capazes de implantá-las. É por isso que empresários ficam ricos e intelectuais, professores - morrem pobres.
Se Bill Gates tivesse se restringido a implantar suas idéias, teria parado no Visual Basic. Ele fez fortuna porque foi hábil em implantar as idéias dos outros - dizem as más línguas - que até copiou algumas.
Essa classificação explica também por que intelectual normalmente odeia empresário, e
vice-versa.
Há uma enorme injustiça, na medida em que os lucros fluem para quem implantou uma idéia, e não para quem a teve.
Uma idéia somente no papel é letra morta, inútil para a sociedade como um todo.
Um dos problemas do Brasil é justamente a eterna predominância, em cargos nos ministérios, de professores brilhantes, com iniciativa, mas com pouca ou nenhuma acabativa.
Para o Brasil começar a dar certo, precisamos valorizar mais os brasileiro com a capacidade de implantar nossas idéias. Tendemos a encarar o acabativo, o administrador, o executivo, o empresário como sendo parte do problema, quando na realidade eles são parte da solução.
O INICIATIVO almeja ser famoso, o ACABATIVO quer ser útil.
Mas a verdade é que a maioria dos intelectuais e INICIATIVOS não tem o estômago para devotar uma vida inteira a fazer dia após dia, digamos, bicicletas.
O INICIATIVO vive mudando, testando, procurando coisas novas, e acaba tendo uma vida muito mais rica, mesmo que seja menos rentável.
Por isso, a esquerda intelectual e a direita neoliberal conviverão sempre às turras, quando deveriam unir-se.
Se você tem iniciativa mas não tem acabativa, faça um curso de administração ou tenha como sócio um acabativo.
Há um ditado chinês -”Quem sabe e não faz, no fundo não sabe“- muito apropriado para os dias de hoje.

Se você tem acabativa, mas não tem iniciativa, faça um curso de criatividade, estude um pouco de teoria. Empresário que se vangloria de nunca ter estudado não serve de modelo.
No fundo, a esquerda precisa de acabativa da direita, e a direita precisa das iniciativas da esquerda.
Finalmente, se você não tem INICIATIVA nem tampouco ACABATIVA, só podemos lhe dizer uma coisa: lamento.

Stephen Kanitz